PAPO COM PSICOLOGIA: Precisamos Falar sobre o Abuso Sexual Infantil

Nas últimas semanas muito se tem falado sobre como lidar com abuso sexual infantil. Em virtude de uma cena de uma novela popular, muito se começou a pensar e discutir sobre as consequências de um problema como esse. E é algo muito bom, pois falar sobre essas questões nos abre caminhos para ajudar pessoas que possam estar sofrendo em segredo.

No começo de minha carreira como psicólogo, me vi diante de muitos e recorrentes casos de pessoas que me procuravam tendo sido vítimas desse tipo de situação. Isso me deixou profundamente preocupado, pois percebi como esses casos são comuns e quão pouco preparo a maioria das pessoas tem para lidar com isso.

As vítimas de abuso têm dificuldade para lidar com isso porque possuem um sentimento grande de vergonha, acompanhado de uma sensação de culpa que é massacrante. Ou seja, a pessoa é vítima de algo tão ruim para sua formação de identidade, e ainda carrega o peso de pensar que poderia ter feito alguma coisa para evitar. O problema é que numa situação de abuso, não existe um sentimento de igualdade entre abusador e vítima. A pessoa abusada normalmente é alguém que é menos capaz, mais frágil, mais inocente.

O pior é que, por causa da vergonha, muitas pessoas não gostam nem de lembrar do que passaram. Preferem fazer de conta que nada aconteceu. Só que, quando você não enfrenta a dor desse tipo de situação, a dor começa a causar prejuízo emocional em você. Ela se manifesta em uma baixa autoestima, e torna a pessoa muito mais propensa a se envolver em relacionamentos disfuncionais, com presença de violência, agressão e até mesmo diferentes níveis de abuso.

Deixar de lado nunca é uma opção. Você não consegue resolver aquilo que você não encara, não enfrenta. Na tentativa de lidar com a dor que se estabelece, muitas pessoas resolvem esconder a experiência “embaixo do tapete”, querendo que melhore com o tempo. Mas isso nunca acontece nesses casos. Ao contrário, o passar do tempo serve apenas para aprofundar ainda mais a dor. E como consequência, muitas pessoas assumem atitudes não saudáveis para com elas mesmas, como por exemplo, abusar da comida, do álcool, das drogas, do sexo, apresentar desordens alimentares, ferirem a si mesmas com cortes, tentativas de suicídio, ou mesmo, se isolarem socialmente para evitar o contato com as outras pessoas.

Mas não precisa ser assim. A vida pode voltar a ter nova razão de ser, novo significado. Por isso, se for o seu caso, procure ajuda profissional. Não permita que algo vivido no seu passado impeça você de ser feliz no futuro. Uma terapia pode ajudar você a ressignificar seu autoconceito, seu valor próprio, e sua maneira de se perceber na vida. E isso poderá lhe devolver o prazer de ser feliz. Não se entregue. Levante-se, enfrente e lute. Não estou dizendo que será fácil. Mas com certeza você sairá uma pessoa melhor.

 

Psicólogo Osmar Reis, Me.

Leave a Reply

Your email address will not be published.